Testemunhos

"Eu trato a minha psoríase com curas termais"

Resources\Visuels\V4\Headers\Articles\INT\v_header_testimonies_default.jpg

Na adolescência, Isabel teve uma crise de psoríase. Durante 10 anos esteve bem, até que surgiu uma nova crise, num momento de elevado stress. Para Isabel, a cura termal foi muito benéfica.

Contexto

Isabel, quando teve psoríase pela primeira vez?

Na adolescência. Começaram a aparecer placas vermelhas, sobretudo ao nível dos joelhos e dos cotovelos. A minha mãe levou-me ao dermatologista e as placas desapareceram rapidamente. Na altura não chegaram a incomodar-me muito.

Sintomas

Teve outras crises?

Durante pelo menos 10 anos, a psoríase não voltou. Pertencia ao passado. Até que as placas voltaram a surgir, nada discretas, desta vez. Surgiram nos cotovelos, nos joelhos e até na barriga. O pior foram as placas na pele do rosto, duraram meses;  já não ousava mostrar o rosto, de tão mal que me sentia com o meu aspecto. De uma forma geral, a minha pele apresentava-se granulosa, com rugosidades no rosto. Parece-me que foi o stress que desencadeou tudo.

A solução

Conseguiu fazer desaparecer as placas?

Apliquei os cremes e fiz as sessões de fototerapia. Mas foi a cura termal, prescrita pelo dermatologista que me fez realmente bem. Banhos , duches e cataplasmas, durante três semanas. As placas começaram a esbranquiçar e a diminuir. A pele ficou menos rugosa.
Actualmente, as crises são regulares, mas muito menos intensas. Todos os anos ou de dois em dois anos, volto a fazer a cura. É assim que consigo tratar a minha psoríase. Valorizo sobretudo, o facto de ensinarem como gerir e a defender-me do stress.

  • Facebook
  • Pin

Recomendada para si

See all articles