Os motivos porque a proteção solar é imprescindível todo o ano!

Recomendação do Dr. Fernando Guerra, Dermatologista

A protecção solar é, provavelmente, um dos instrumentos mais úteis na evicção do cancro cutâneo.
Quem disser o contrário, nomeadamente que o uso de proteção solar contribui para a Osteoporose pela limitação da síntese da vitamina D, incorre num erro que pode ser grave para quem o ouvir.
Talvez desconheça que em Portugal surgem, todos os anos, aproximadamente 700 novos casos de Melanoma.
Mas a radiação Ultravioleta também faz parte dum conjunto de fatores extrínsecos que contribuem para o envelhecimento cutâneo.

Entre os vários tipos de radiação solar, aquelas que afetam diretamente a nossa pele são os UVB e os UVA. Os UVB são responsáveis pelo eritema imediato após exposição solar e os UVA pelo bronzeado tardio pois têm maior comprimento de onda, penetrando mais profundamente na pele.

E não é só na praia ou na piscina que estamos expostos à radiação ultravioleta (UV) e aos danos cutâneos a que levam as queimaduras solares (os “escaldões”), envelhecimento precoce da pele e cancro da pele. A radiação UV também provoca outro tipo de malefícios, como lesões oculares e enfraquecimento do sistema imunitário. Sempre que estamos ao ar livre, seja a caminhar, sentados numa esplanada ou a fazer jogging, a radiação solar atinge-nos, mesmo em dias nublados. Por isso é que devemos aplicar protetor solar diariamente.

Existem cremes cosméticos e maquilhagem contendo protector solar, mas cujo índice de protecção costuma ser 20 ou inferior, ficando aquém do 30 ou preferivelmente 50, que são os que se devem usar todos os dias a seguir ao creme hidratante e antes do “fond de teint”. A textura dos protectores solares tem evoluído muito ao longo dos anos, pelo que existem protetores solares muito mais fluidos e praticamente invisíveis depois de aplicados (e pode sempre aplicar a maquilhagem a seguir).

Quando for para a praia/piscina, aplique protetor solar em todas as zonas que vão estar expostas. No quotidiano opte também por um protector solar que assegure a proteção contra a radiação UVA e UVB. Quanto mais clara for a pele, mais elevado deve ser o factor de protecção solar, embora o FPS nunca deva ser inferior a 30 – mesmo em pessoas com pele mais escura (fototipo 3). Idealmente, todos nós deveríamos usar protetor solar com FPS 50+.

As crianças também devem usar diariamente um protector solar pelo menos com fator de proteção 30, também nas zonas expostas nos meses quentes e aprenderem a repeti-lo depois de esforços físicos ou algumas horas depois da aplicação matinal.
Os protetores mais adequados para as crianças com idade inferior a 6 anos são os protetores solares com uma maior percentagem de filtros minerais – que geralmente têm a menção “pediátrico” ou “infantil” na embalagem. A razão é simples: antes dessa idade a pele ainda está em desenvolvimento, com uma maior suscetibilidade à radiação solar e por isso a importância de uma seleção rigorosa do tipo de filtros para evitar qualquer tipo de reações alérgicas.

Para um adulto, deve aplicar-se uma dose que no dia a dia corresponda a 2 ml nas zonas expostas (face, pescoço, orelhas - não esquecer a zona atrás dos pavilhões auriculares especialmente para quem faz desporto). Para as crianças, a dose é cerca de metade, embora seja provável que necessite de renovar a aplicação com mais frequência – as crianças costumam ser muito activas e estão frequentemente expostas ao sol.

Não devemos utilizar um protetor solar cujo prazo de validade, depois de aberto, já expirou, pois não nos protege da radiação UV. Os componentes já perderam o seu efeito e podem, além disso, provocar irritações na pele.

Além da proteção solar diária, adultos e crianças devem evitar a exposição solar entre as 11h30 e as e 17h.

Produtos em destaque

Veja todos os produtos

Outros artigos sugeridos para si