0
De volta para laroche-posay.pt
Save your skin

Saiba tudo sobre cancro da pele: adote bons hábitos

\\SRV-PUBLIC-2015\Applications\Site-LRP-Inter-V4\Maquettes\online\includeV4\images-dyn\saveyourskin\v_article_30871.jpg

Fotoproteção

pelo Professor Giuseppe Argenziano, MD, Presidente da International Dermoscopy Society

Cancro da pele: o que é?

Há três tipo de lesões:

  • Queratose actínica e queratose solar: Estas lesões muito comuns não são cancros de pele. São manchas escamosas ásperas ao toque e tendem a surgir na superfície da pele. Estas surgem após uma exposição prolongada e repetida ao sol. Indicam que a pele perdeu a sua capacidade natural de se proteger contra o sol e os seus raios UV. Algumas delas podem levar ao desenvolvimento de cancro de pele.
  • Carcinoma: Estes representam 90% dos cancros da pele e são maioritariamente causados por exposição frequente e prolongada ao sol durante a idade adulta. A deteção precoce possibilita o tratamento dos carcinomas uma vez que estes têm um crescimento lento. Uma vez que os carcinomas se localizam geralmente no rosto, a deteção tardia pode levar a cicatrizes inestéticas. Assim, é essencial consultar um dermatologista no caso de ter alguma dúvida.
  • Melanoma: Um tumor maligno. Este é o tipo de cancro da pele mais perigoso pois pode colocar a vida do doente em risco. Surge como resultado de exposições solares curtas e intensas, como aquelas que causam escaldões. Assume a forma de manchas castanhas ou pretas em pele saudável. Em 35% dos casos, está relacionado com um sinal pré-existente. Se diagnosticado durante a primeira fase de desenvolvimento, pode ser curado por completo com tratamento médico. Se descobrir uma lesão suspeita, é vital que consulte um dermatologista.

Raios UV artificiais: Uma forma segura de bronzear?

O bronzeamento natural é uma defesa contra os raios UVB. Os solários, contudo, usam raios UVA não incomodativos e intrusivos. Provocam envelhecimento prematuro da pele e aumentam o risco de desenvolvimento de cancro cutâneo.

Bons hábitos de segurança ao sol.

  • Evite a exposição solar durante as horas de maior intensidade solar: 50 a 70% dos cancros de pele estão relacionados com  a sobre-exposição aos raios UVB e UVA.
  • Diminua a exposição das crianças ao sol: 80% dos danos de pele causados pelo sol ocorrem antes dos 18 anos. O dano causado por expor a sua pele ao sol e intensa luz solar entre a infância e a idade adulta levam ao desenvolvimento de cancro da pele.
  • Use um protetor solar com alto fator de proteção, que proteja contra ambos os raios UVB e UVA. Relembre-se de o reaplicar a cada duas horas, usar óculos de sol e chapéu.
  • Consulte um dermatologista se aparecer uma lesão de pele ou se observar quaisquer alterações num sinal. Entre consultas, mantenha-se vigilante e monitorize os seus sinais usando o Mole Checker!
  • Facebook
  • >Pin

Previna o cancro cutâneo