Centre-se em ...

O Sol: benefícios, malefícios e meios de protecção

Resources\Visuels\V4\Headers\Articles\INT\v_header_focuson_default.jpg

O Sol é necessário à vida e possui benefícios reais. No entanto, é necessário moderação, pois os UV provocam efeitos nocivos na saúde da pele. Para controlar e aproveitar melhor os seus benefícios, é claramente indispensável a utilização de protecção solar com um índice elevado.

Sintomas

A quantidade certa de Sol

O Sol é indispensável à vida. Em doses moderadas, desempenha um papel benéfico:

  • no humor: o Sol pode ser um excelente tratamento contra determinadas formas de depressão sazonal;
  • na síntese da vitamina D, essencial à fixação do cálcio nos ossos: quinze minutos de exposição solar são suficientes.
Em doses excessivas, o Sol pode ser muito perigoso e provocar:
  • queimaduras solares, também chamadas eritemas solares: é o efeito nefasto imediato mais frequente de uma exposição ao Sol;
  • fotodermatoses: como a lucite ou outras dermatoses agravadas pelo Sol, a acne, o cloasma,o lúpus, a urticária solar, o vitiligo
  • fotossensibilizações;
A longo prazo, surgem mais alguns efeitos nefastos. 
  • aceleração do envelhecimento cutâneo, traduzido pelo aparecimento de manchas, tez amarela, rugas profundas, perda de densidade e elasticidade da pele.
  • fotocarcinogénese (cancro cutâneo) provocado pelos UVB e UV

Causas

Os UV

Os efeitos do Sol na pele são provocados principalmente pelos raios UV. Os UVB estimulam o bronzeado da pele e são os principais responsáveis pelas queimaduras solares. Os UVA são indolores, mas muito insidiosos, penetram na pele mais profundamente; aceleram o envelhecimento cutâneo e podem provocar intolerâncias solares, normalmente designadas alergias solares e problemas de pigmentação.Os UVB e os UVA podem desencadear alterações no interior das células e danificar o ADN.

Cuidados

A protecção acima de tudo

Existem regras que devem respeitar-se, sempre, em caso de exposição solar:

  • evitar a exposição nas horas de maior intensidade solar;
  • aplicar o protector solar antes da exposição, em quantidade suficiente (duas camadas em vez de uma).
  • Renovar a aplicação, generosa e frequentemente, sobretudo após o banho ou se transpirar excessivamente.
  • não expor crianças de tenra idade à luz directa do sol. Após cada banho, deverá secar-se a criança com uma toalha e renovar a aplicação do protector solar específico para este tipo de pele frágil.
Deverá ter-se consciência que: determinados alimentos contribuem para melhorar a resistência da nossa pele ao Sol. Moléculas naturais como os carotenoídes, a vitamina C, presente nas frutas e legumes, ou a vitamina E contribuem para a fotoprotecção. No entanto, não substituem, de modo algum, uma boa protecção solar, indispensável em caso de exposição.

Não hesite em consultar um dermatologista, para mais informações.

  • Facebook
  • Pin

Recomendada para si

See all articles