3 questões ao Especialista

Em caso de lucite significativa, prescrevo antimaláricos de síntese

Resources\Visuels\V4\Headers\Articles\INT\v_header_3questions_default.jpg

A manifestação de alergias solares mais frequente é a lucite estival benigna. Caracteriza-se por uma erupção de pápulas vermelhas (borbulhas) em dias de Sol. Afecta cerca de 10% dos adultos. Os dermatologistas são frequentemente confrontados com este problema.

Qual o perfil dos seus pacientes com sintomas de lucite estival?

Normalmente, mulheres entre os 15 e os 35 anos de idade.

Não é necessariamente durante o Verão, independentemente do nome da patologia. Uma tarde a fazer sky, algumas horas numa esplanada na Primavera, podem provocar o aparecimento de pequenas manchas vermelhas; muitas vezes com algum relevo e pouco estéticas surgem no peito, nos antebraços e nas pernas. Se a exposição persistir, a pele habitua-se e este tipo de manifestações acaba por desaparecer.

Existe alguma prevenção para a lucite estival?

Pode ocorrer em qualquer dia, sem que haja um factor determinante para além da exposição solar.

A partir do momento em que a lucite surge, reproduzir-se-á sistematicamente no início de cada exposição solar. Por essa razão, recomendo aos meus pacientes, particularmente aos que têm a pele sensível, que utilizem uma protecção eficaz contra os UVB e os UVA.

Existe algum tratamento medicamentoso para prevenir o seu aparecimento?

Recomendo preferencialmente,  suplementos alimentares com betacaroteno, selénio e probióticos

um mês antes das primeiras exposições e enquanto estas durarem. Nas lucites significativas, prescrevo antimaláricos 10 dias antes das primeiras exposições. Embora com menor frequência, recorro à fototerapia, que consiste em algumas sessões de ultravioletas, antes das primeiras exposições solares, para não concentrar a exposição destes pacientes aos UV..

  • Facebook
  • Pin

Recomendada para si

See all articles