Centre-se em ...

A lucite estival: uma alergia ao Sol muito comum

Resources\Visuels\V4\Headers\Articles\INT\v_header_focuson_default.jpg

A lucite estival - muitas vezes qualificada como alergia solar - é a mais frequente das fotodermatoses. Desencadeada pela radiação solar, provoca a erupção de pequenas borbulhas vermelhas acompanhadas por prurido. Existe apenas uma solução: a prevenção

Sintomas

Como se manifesta: pequenas borbulhas vermelhas acompanhadas por prurido

3.1 Focus on summer light eruptions_illu 1

Muito comum, a lucite estival benigna afecta, sobretudo, mulheres entre os 15 e os 35 anos. Tão desconfortável como inestética, manifesta-se sob a forma de pequenas borbulhas vermelhas acompanhadas de prurido, normalmente localizadas no peito, nos ombros, nos braços e nas pernas, sem esquecer o peito dos pés.

Causas

Os principais responsáveis? Os raios UVA.

Desencadeada pelos raios ultravioletas, particularmente os UVA, a lucite estival surge, geralmente, 12 horas após uma exposição solar. A recidiva é frequentemente inevitável. Também pode assumir um carácter mais severo: mais borbulhas, mais prurido e mais zonas afectadas.

Cuidados

A prevenção

O principal tratamento reside na prevenção. O ideal seria evitar-se qualquer exposição solar ou usar vestuário com protecção.
Em caso de exposição solar:

  • evitar expor-se ao sol entre as 12 e as 16 horas
  • privilegiar as exposições progressivas (20 ou 30 minutos por dia)
  • utilizar protectores solares de índice elevado e espectro alargado (anti-UVA e anti-UVB)
  • renovar a aplicação do protector a cada 2 horas
Todas estas precauções devem ser respeitadas independentemente da hora do dia.

  • Facebook
  • Pin

Recomendada para si

See all articles